Portugal...e as suas Princesas de olhos azuis

Falamos de Açores, da Lagoa das Sete Cidades, falamos do Algarve e das Amendoeiras em Flor, falamos de Princesas de olhos azuis e de...lendas. Portugal é tão somente um reino encantado, luxuriante, um reino de lendas mas...real. Pois bem, tanto a Lagoa das Sete Cidades está associada a uma lenda, como também as Amendoeiras em Flor.

Conta a lenda que há muitos, muitos anos, no lugar onde hoje fica a freguesia das Sete Cidades, existia um grande reino onde vivia uma jovem princesa de olhos azuis, muito bela e bondosa, que gostava muito de passear pelos campos e de sentir o cheiro das flores, molhando os pés nas ribeiras ou apenas apreciando a beleza dos montes e vales que rodeavam o reino. Um dia, durante um dos seus longos passeios, a jovem princesa passou por um prado onde pastava um rebanho e ali perto, avistou um simpático pastor de olhos verdes, com quem a princesa decidiu conversar. A princesa e o pastor falaram muito sobre os animais, as flores e de todas as coisas simples e belas que os rodeavam. Depois deste dia, os dois passaram a encontrar-se todos os dias para conversar e os dias e as semanas foram passando e com o passar do tempo foram-se apaixonando e acabaram por trocar juras de amor eterno. Mas a notícia dos encontros da princesa com o pastor acabaram por chegar aos ouvidos do rei, que não ficou nada satisfeito. Queria ver a sua filha casada com um príncipe de um dos reinos vizinhos e, por isso, proibiu-a de voltar a ver o pastor. Por respeito ao pai, a princesa aceitou esta cruel decisão, mas pediu-lhe que a deixasse ir mais uma vez ao encontro do pastor para se poder despedir dele. Sensibilizado, o rei disse-lhe que sim. A princesa e o pastor encontraram-se então pela última vez nos verdes campos onde se conheceram e passaram o tempo a falar longamente sobre o seu amor e igualmente sobre a sua separação. Enquanto conversavam choravam também. E choravam tanto que as lágrimas dos olhos azuis da princesa correram pelo vale e formaram a lagoa azul; já as lágrimas dos olhos verdes do pastor caíram com tanta intensidade que formaram a lagoa de água verde. Por fim, os dois amados despediram-se e as lágrimas choradas pela sua separação formaram duas lagoas que ficaram para sempre juntas – tal como os dois enamorados, nunca se poderiam unir, mas também nunca se iriam separar. Uma é a Lagoa Azul, a outra é a Lagoa Verde: são chamadas de “Lagoas das Sete Cidades”. Nos dias de sol mais brilhantes, as cores das duas lagoas são tão intensas que dão uma magia única ao local idílico.

Quanto à lenda das Amendoeiras, houve um rei muçulmano, quando o Algarve era uma parte do grande reino muçulmano que existia no século VII, que casou com uma bela princesa nórdica, loura e de olhos azuis. A princesa gostava muito do seu príncipe muçulmano mas começou a ficar cada vez mais triste, e chorava… e chorava… e o príncipe árabe que também não sabia o que é que se passava com a sua amada, ficava também triste e não sabia o que é que lhe havia de fazer. Então decidiu um dia ir-lhe perguntar o que é que se passava com ela, ao que ela respondeu que tinha saudades da sua terra, tinha saudades de ver neve. O príncipe então pensou bastante e resolveu plantar uma série de amendoeiras pois, quando estas floriam, todos os campos ficavam brancos e pareciam pintalgados por flocos de neve. Então, preparou uma surpresa à sua princesa, plantou as amendoeiras numa série de campos (que tentou manter escondidas da princesa durante algum tempo) e depois quando as flores abriram completamente chamou a princesa à janela. Ela ficou tão feliz de ver as árvores cobertas de branco que pensou mesmo que o seu príncipe tinha conseguido fazer neve no Algarve.

O amor faz ou não maravilhas? São lendas mas não deixam de imprimir um lado ainda mais encantador a Portugal, pois não?


Contactos

Pieces of Moments