A dialética no ensino...

19-07-2019 18:32

Imagem relacionada

 

O que é, afinal de contas, a dialética? A dialética remonta aos tempos antigos da filosofia. É um método de diálogo cujo foco é a contraposição e contradição de ideias que levam a outras ideias e que, por isso, significa "caminho entre as ideias". Envolve a argumentação e relaciona-se com a arte da palavra. A dialética procura refletir sobre a realidade e é sinónimo de sabedoria.

 

Ora, e o que é que a dialética tem a ver com o ensino? Tudo. A escola deve ser uma alavanca social e reconhecer que deve estimular o raciocínio e o espírito crítico dos seus alunos e alunas. Mais do que as matérias técnicas (matemática, inglês, português ou história), a escola deve trabalhar o desenvolvimento humano. e para isso é necessário recorrer-se à pedagogia e à orientação. Claro que as famílias não se podem demitir de dar uma  boa educação em casa, a nível de valores, bem como de permitir uma boa estimulação intelectual mas, a escola deve tentar formar bons seres humanos também. Nem a família deve remeter a total responsabilidade para a escola nem esta deve responsabilizar apenas a família. Ambas as partes se devem complementar neste processo.

 

Chegamos a dois grandes problemas. O primeiro prende-se com a existência de uma classe de professores descontentes e saturados e que, não têm a preparação universitária suficiente, específica e necessária para lidar com os casos mais desafiantes. O segundo grande problema relaciona-se com uma rede de psicólogos insuficiente a atuar nas nossas escolas e com falta de estratégias a aplicar em conjunto com os professores. 

 

O nosso estilo de ensino coloca a obrigação da matéria que tem de ser dada a um ritmo alucinante em primeiro lugar e despreza a reflexão sobre um método que valorize as reais capacidades individuais de cada aluno ou aluna e que estimule a sua  autonomia de pensamento. O ato de ensinar é, acima de tudo, um ato comunicação, de passar a mensagem e de torná-la perceptível. É um processo de linguagem verbal e não verbal, orientado pelo professor ou professora e com o contributo dos alunos e alunas.. Ora o/a estudante tem de sentir que faz parte daquele processo e que tem de dar de si também. Se o método de ensinar não resulta, então é porque há algo nessa base que está a falhar. Para se desenvolver, o ser humano tem de analisar e refletir, para que entenda o mundo que o/a rodeia  Ora, na correria do cumprimento dos programas, não há atenção às capacidades individuais nem às dificuldades específicas de cada aluno ou aluna. 

 

Terá de existir maior dialéctica entre alunos/alunas e professores/professoras, em que estes assumam uma posição de orientadores/as e uma atenção mais individualizada às atividades e especificidades dos seus alunos e alunas.

 

O sistema de ensino atual tem de mudar. Está desfasado e desajustado. É ineficaz.


Contactos