With the Future in Your Hands...

21-02-2017 12:10

 

No post de ontem falei-vos da importância fulcral que tem, a presença e o acompanhamento dos pais e das mães na vida dos filhos e filhas. Pois bem, tenho mais uma experiência para vos relatar: Esta é uma semana aberta na escola da pequenita e as AEC's convidam os/as encarregados/as de educação a assistirem às aulas respetivas, tendo as crianças levado recados para casa durante a semana passada. Ontem, foi a vez de assistir à aula de empreendorismo e quando cheguei verifiquei com agrado que o número de pais e de mães era razoável mas que assim mesmo deveriam representar quase metade da turma. Faltavam ainda muitos pais e mães.Enquanto esperávamos, apercebi-me de um menino que pediu à auxiliar que ligasse depressa ao pai pois de manhã ele tinha-se esquecido de o avisar acerca daquela aula especial. O primeiro pensamento que me ocorreu foi: "por que razão nem o pai, nem a mãe perguntaram se havia recados da escola ou por que razão não averiguaram na mochila do filho se havia algo a registar, colocando o recado em local visível para não ser esquecido?". Resultado do telefonema: "não, o pai não podia, ficava para a próxima", repetiu a auxiliar as palavras que ouvia do outro lado da linha. E lá o menino encolheu os ombros e regressou à sala. Não fiquei indiferente. Dentro de mim, "rompia" a indignação e sensibilizei-me por aquele menino.

Ainda esperámos mais um pouco e durante o tempo que ali estivemos, as crianças vinham cá fora espreitar se estava muita gente e se estava lá alguém conhecido. Reparei até na situação de um miúdo, com alguns problemas de "mau comportamento", que também veio verificar cuidadosamente se a mãe lá estava (e que não estava). O que isto significa? Que as crianças sentem tudo, que ficam ansiosas e que ficam felizes quando a mãe ou o pai marcam presença nestas ocasiões. Eles IMPORTAM-SE. Mas...e os pais? E as mães? IMPORTAM-SE?

Escusado será dizer que durante toda aula aberta, as crianças estavam radiantes, entusiasmadas, cheias de vivacidade. O projeto era a simulação de uma loja, onde os pais e as mães eram clientes (até notas e moedas fictícias tínhamos) e as crianças vendiam, faziam descontos e trocos. Uma excelente iniciativa.

Termino, acrescentando ainda que no post de ontem, esqueci  de vos mencionar outras duas questões que constavam no tal  inquérito da escola aos pais e que eram:

O meu filho toma o pequeno-almoço antes de ir para a escola

Opções de resposta: sempre, quase sempre, raramente e não sei

O meu filho dorme:

Opções de resposta: Mais de 8 horas, entre 7 a 8 horas, menos de 7 horas e não sei

Para bons entendedores e boas entendedoras...é a realidade familiar que temos no séc. XXI...

O futuro que semeiam hoje está nas vossas mãos. Pode ser uma boa ou uma má "sementeira"...os vossos filhos e filhas assim vos mostrarão.

 

 


Contactos

Pieces of Moments