Quinta do Gradil...uma Festa das Vindimas com História

19-09-2016 10:39

No sábado passado, estava um dia fantástico de sol, perfeito para conhecer a Quinta do Gradil (próxima de Vilar/Cadaval). Da estrada vi-a imponente ao longe e a cor amarela dos edifícios destaca-se no meio da vasta propriedade de vinhedos.

Entrei na estrada da Quinta e fui-me apercebendo do ambiente de festa: a música popular fazía-se ouvir no meio daquela paz que me envolvia ao chegar. Dirigi-me ao local da animação e deparei-me com tendas montadas no exterior, onde tinha sido servido o almoço e com um grupo de pessoas de chapéu de palha e de t-shirt 'da casa', que dançavam cheias de entusiasmo. Era a Festa das Vindimas. 

Bruno Gomes, responsável de Enoturismo e Eventos do Grupo Parras, recebeu-me e conduziu-me ao espaço do restaurante vínico, onde lhe coloquei algumas questões acerca da prestigidada Quinta do Gradil, originariamente propriedade de Marquês de Pombal (1760).

PM - Fale-nos um pouco da vossa História...

BG - Depois de Marquês de Pombal, a Quinta teve vários proprietários até ter sido adquirida em 1999 pelo atual propietário, Luís Vieira, integrando o Grupo Parras Vinhos, com o objetivo de produzir vinhos de qualidade. São 120 hectares de vinha e 200 hectares de propriedade (sendo uma parte de silvicultura). Temos 22 castas, o que nos permite uma escolha aprimorada do melhor vinho. Dispomos de três marcas principais de vinhos: o Mula Velha, Castelo do Sulco e Quinta do Gradil.

PM - De onde vem o nome "Quinta do Gradil"?

BG - Deriva do facto de ter sido das primeiras Quintas a ter gradeamento.

PM - Neste momento decorrem as atividades vínicas ligadas à Festa das Vindimas...quem procura mais este tipo de programas? Portugueses ou estrangeiros?

BG - Tanto portugueses como estrangeiros e estes oriundos de uma grande variedade de países. As provas de vinhos são bastante procuradas quer por uns, quer por outros.

PM - Que atividades contempla o vosso Programa?

BG - Até final de Outubro decorre a nossa Festa das Vindimas em que aos Sábados e Domingos, mas também durante a semana, recebemos grupos de pessoas. Aos Sábados e Domingos, vindimam e têm um almoço confecionado pelo nosso Chef, com menu especificamente criado para a prova de vinhos. Durante a semana, temos programas mais orientados para o acompanhamento da produção de vinhos e usufruem do menu das vindimas: são 5 pratos escolhidos pelo Chef, ajustados aos vinhos da Quinta.

PM - Têm recebido vários prémios...qual o produto de maior relevância comercial?

BG - Os Vinhos Cabernet & Tinta Roriz são os mais consensuais em termos de relevância comercial mas o Mula Velha é o mais vendido (distribuído exclusivamente pelo Hipermercado Continente).

PM - Qual foi a razão para a escolha do nome 'Mula Velha'?

BG - É um tributo às mulas, pela sua importância no amanho das vinhas. No Douro, por exemplo, existem socalcos onde é impossível a entrada de tratores, pelo que as mulas, animais com grande capacidade de trabalho, é que lavravam os terrenos.

PM - Quais os objetivos a médio prazo?

BG - Passam pela recuperação do edifício construído por Marquês de Pombal, de forma a recebermos grupos maiores.

PM - O que os distingue?

BG - Em primeiro lugar, a nossa Quinta foi premiada como a Empresa do Ano 2016 pela prestigiada Revista de Vinhos e em segundo lugar, o que nos distingue é o atendimento personalizado e uma oferta diversificada de atividades no âmbito do Enoturismo (caminhadas, provas BTT, corridas a pé, passeios a cavalo, uma série de experiências vínicas), bem como nos situarmos numa paisagem envolvente lindíssima.

PM - Se lhe pedisse que me recomendasse um vinho, o que sugeria?

BG - Recomendaria o Viosinho (Vinho Branco, casta típica do Douro e também a nossa 'bandeira' emblemática) e o Syrah (Vinho Tinto).

PM - O que lhes vai na alma?

BG - Neste momento são as Vindimas, ponto alto de qualquer Adega e época de muito trabalho. Hoje temos cá um grupo de 7 0 pessoas e amanhã, Domingo, temos outro grupo de 60 pessoas. É muito gratificante partilhar a 'arte' ancestral das vindimas com pessoas sem qualquer experiência de vindimas.

Terminada a entrevista, ficou o convite e a promessa de vir a participar numa das experiências vínicas da Quinta do Gradil. E...antes de vir embora, Bruno Gomes conduziu-me até à Loja de Vinhos da Quinta, onde simpaticamente me ofereceu um Viosinho e um Syrah, não fosse me ter recomendado os mesmos no decorrer da nossa conversa.

Muito obrigada Bruno pela simpatia e pelo tempo que me concedeu. As maiores felicidades para a vossa emblemática Quinta do Gradil. Até breve.

 

 

 

 


Contactos

Pieces of Moments