Quaresma, uma estrada que nos leva à reflexão e a novos começos

10-04-2017 13:51

Que fim-de-semana bom... o estado do tempo continua a convidar-nos a sair e no sábado à tarde decidi adiar o que podia fazer noutros dias, aproveitar o sol e conhecer um pouco mais do nosso Portugal. A primeira paragem foi no Moledo, onde visitei os seus lindos Moinhos, a segunda no Reguengo Grande, onde conheci o Centro de Arte e Cultura, e a terceira foi na Moita dos Ferreiros. As três aldeias pertencem ao Concelho da Lourinhã, e a meio da tarde descobri algo de maravilhoso. Há tantos mas tantos cantinhos, pequenas grandes maravilhas por vezes tão perto de nós por descobrir...

E porque estamos na Quaresma, há que folgar de quem somos, de folgar das rotinas e de fazer tudo porque tem que ser, há que folgar para que de vez em quando, a vida seja como nos apetecer porque por vezes o facto de fazermos o que nos apetece é um sinal de que isso nos vai fazer bem, é o nosso espírito a indicar-nos de que aquele deverá ser o caminho a seguir. Assim é a Quaresma, quadra que nos convida a procurar os melhos sítios para nos ouvirmos, para meditar, para refletir. Longe de ruídos, longe de tudo mas perto da natureza, perto de nós, perto da fé.

Apenas assim, conseguiremos fazer novos e novos começos.

Foi então, já a meio da tarde de sábado, que descobri um verdadeiro jardim do Éden. Falo do Casal dos Patos, um jardim verdadeiramente deslumbrante na Moita dos Ferreiros, propriedade de Adriano Perdigão. Já muitos/as de vós viram os dois vídeos que publiquei hoje no Blog. Pois bem, a maioria das fotos foram lá tiradas. O Casal dos Patos foi integralmente construido pelos seus donos e tem tudo o que é necessário para um retiro espiritual: tem dois lagos enormes, muitas árvores, flores, muito verde e muitas cores, tem patos, um cisne, pavões, escorregas para as crianças, pontes e escadas de madeira, muitas mesas para ali se degustarem refeições em comunhão com a natureza e tem um fantástico miradouro, brindado com uma casinha de brinquedos.

De repente pensei: "Como é possível existir algo assim no meio de terrenos agrícolas?" Não existe uma placa, não existem indicações, nada que dê para suspeitar de tamanha beleza. Percebe-se porquê. Afinal aquele é um refúgio privado que carinhosamente foi construido pelos seus donos. É preciso ser respeitado. Todavia, em conversa com o Sr. Adriano, foi-me dito que muitas são já as pessoas que por ali têm passado, sob o efeito do "passa-palavra" e que tem recebido algumas solicitações de reserva do jardim para comemorações de aniversário, fotos de casamento e outras confraternizações. Aliás, o Casal dos Patos também já integra alguns Passeios Pedestres e Caminhadas da região. Desta forma, caso tenham interesse, aqui fica o contacto do Sr. Adriano (tlm 914945526). Vão, mas vão por bem, pois por vezes quem visita também estraga (infelizmente tal já aconteceu no Casal dos Patos). Há que respeitar o que foi construido com tanto esforço e que tanto trabalho dá para manter.

E, depois de muitas fotos, lá me despedi do afável e simpático Sr. Adriano, sem contudo, por diversas vezes o ter parabenizado pelo seu imenso trabalho e criatividade. Assim é o nosso Portugal, assim são os Portugueses: verdadeiras "caixinhas surpresa". Fiquei encantada. Muito obrigada Sr. Adriano.

Não fosse o tempo da Quaresma, um tempo de novas descobertas...de novos caminhos...de novos encontros.

 

 

 


Contactos

Pieces of Moments