A vida...um mar de aprendizagens

10-05-2017 13:51

Cada oportunidade é uma "porta aberta" para novas aprendizagens. Como já tinha mencionado no meu facebook pessoal, na passada sexta-feira visitei o VIII Encontro de "Ciência, Arte e Cultura" organizado pelo corpo docente e pelos alunos do Agrupamento de Escolas Madeira Torres. Foi contudo a área de Arte e Cultura que mais me seduziu. Fiquei deslumbrada pela exposição de trabalhos de pintura executados por alunos do 9º ano, pela exposição de história, onde foram elaboradas maquetas de várias realidades históricas e pela originalidade da banca da minha filha - do 10º ano - onde fiz um quiz de história e fui brindada com um saquinho de bolachas caseiras confecionadas, por ela mesma e por mais duas colegas de grupo. Os alunos e alunas esmeraram-se e estavam felizes e entusiasmados por lá receberem a comunidade em geral. Mas, independentemente da minha preferência, também a área de ciências esteve de parabéns na medida em que três jovens criaram  a Scribo, um prototipo de uma caneta multifunções que já conseguiu alguns patrocinadores para avançarem com o produto. Os nossos jovens, as nossas jovens merecem todo o nosso apoio e presença neste tipo de iniciativas. E nós, adultos e adultas também aprendemos com eles.

De saída, passei pela ala de português, onde acabei por demorar mais tempo pois li cada um dos poemas expostos e foi de lá que retirei alguns alusivos ao mar - ainda desconhecidos por mim -, fazendo questão de os partilhar aqui convosco. Afinal de contas, a vida é um "mar" de oportunidades, de sonhos e de partilhas. No final deixei um post-it de agradecimento aos alunos de português pois "tudo vale a pena quando a alma não é pequena." Adorei.

Canção

Pus o meu sonho num navio 

e o navio em cima do mar; 

— depois, abri o mar com as mãos, 

para o meu sonho naufragar. 

Minhas mãos ainda estão molhadas 

do azul das ondas entreabertas, 

e a cor que escorre dos meus dedos 

colore as areias desertas. 

O vento vem vindo de longe, 

a noite se curva de frio; 

debaixo da água vai morrendo 

meu sonho, dentro de um navio... 

Cecília Meireles, in 'Viagem' 
 
O mar dos meus olhos
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma.
Sophia de Mello Breyner Andresen, in "Obra Poética"

 


Sophia "O mar dos meus olhos"

por A Outra Metade do Mundo, em 02.07.13
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sophia de Mello Breyner Andresen (Porto, 6/11/1919 – Lisboa, 2/7/2004)

 

O mar dos meus olhos

 

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma

E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma

 

Sophia de Mello Breyner Andresen, in Obra Poética

 

 


Contactos

Pieces of Moments