Era uma vez...

25-02-2017 16:11

 Foto de Mia Rose.

Era uma vez um final da semana diferente. Começou no final da tarde de 5ª feira com uma aula de ginástica aberta às mães e aos pais, prosseguiu ontem de manhã com o Corso Escolar de Carnaval e terminou ontem à noite com o concerto dos D.A.M.A. nas Caldas-da-Rainha. O aquecimento está feito para o que vem aí: um fim-de-semana e mais dois dias cheios de Carnaval. Se cansa? Cansa, mas faz tão bem!

Bom, mas vamos lá à minha 5ª feira à tarde e à grande experiência da aula de ginástica aberta. Para começar, esqueçam lá as aulas de ginástica dos nossos tempos escolares. Já não é o que era. Esqueçam lá as cambalhotas e os pinos, isto agora é treino militar, com uma mistura de jogos sem fronteiras. Vale tudo, menos parar um segundo que seja. E assim tivemos uma hora de treino intensivo. Para começar, a Profª logo avisou, antes de entrarmos no ginásio, de que teríamos de fazer a aula como se tivéssemos a idade dos nossos filhos e filhas. Tudo bem até aqui, até a Profª ter disparado as instruções de aquecimento, com voz  firme: correr, parar, sentar, levantar, deitar de barriga para baixo, levantar, deitar de barriga para cima, levantar as pernas, levantar, sentar sem tocar com as mãos no chão, levantar sem tocar com as mãos no chão, tudo isto a um ritmo alucinante. Depois, vieram os jogos sem fronteiras. Socorrendo-se do apito no peito, sempre que era preciso impor a ordem, a Profª ordenou a constituição de grupos, cujo objetivo seria completar uma Roda dos Alimentos, sendo que tínhamos de correr, saltar a pés juntos, levantar 5 vezes uma bola, pegar numa peça de alimentos e regressar a correr, passando a vez a outro ou outra colega do grupo. Passámos depois a um 2º jogo, em que tivemos de passar por debaixo das pernas de cada elemento do grupo, arrastando-nos pelo chão, de modo a fazermos um percurso até meio do ginásio e depois regressar. Veio depois o 3º jogo, em que fizemos de lagartas, encaixando-nos uns nos outros e em que segurando nos pés do elemento da frente, tivemos de nos deslocar em grupo de novo até meio do pavilhão e regressar. A esta hora, já sentia nódoas negras nos antebraços e nos joelhos, o meu rosto latejava, a exaustão tomava conta de mim mas nunca consegui parar de rir. Era um misto de cansaço mas também de boa disposição. No final, um dos colegas de equipa - pai de um dos miúdos - virou-se para mim com ar "alucinado" e disse: "Amanhã, aqui à mesma hora", ao que respondi: "Claro!". Rimo-nos com gosto. Foi ótimo e as crianças adoraram ver o nosso ar de cansaço e de exaustão. Perguntei à minha pequenita: "Costuma ser sempre assim ou foi uma aula diferente?" Respondeu-me ela: "Achas, mãe? É sempre assim." Bem, a aula terminou e totalmente desidratada, corri ao primeiro café para beber uma Freeze limão fresca.

Na manhã seguinte, 6ªfeira - ainda mais dorida da bendita aula de ginástica da véspera - arranquei com a pequenita, mascarada de gata, em direção à escola, em direção à Fábrica dos Sonhos, de onde partiría o Corso Escolar. Sensivelmente pelas 10h30, deu-se início ao desfile pelas ruas, juntando-se os foliões da escola a outros tantos grupos oriundos dos infantários e Atl's, não faltando o grupo de mascarados da A.P.E.C.I. que se alinharam na folia. Apesar da manhã fria - o sol este ano não nos brindou com a sua presença - as ruas encheram-se de gente, os rostos alegraram-se, as câmaras e os telemóveis dispararam imensas vezes, cantou-se, serpentinas coloridas e confetis esvoaçaram pelo ar e entrámos definitivamente e formalmente em "modo Carnaval".

À tarde - talvez pelas calorias perdidas na fantástica aula de ginástica - ofereci-me um Rose Velvet para acompanhar o café. De salientar que a cor vermelha da fatia de bolo não é corante mas sim feito de beterraba. E esta?

E como "a vida são dois dias e o Carnaval são três (ou mais)", depois da aula de natação da petiz, rumámos à noite até às Caldas-da-Rainha para assistir ao concerto dos D.A.M.A.. "Era Uma Vez" é o nome da Tour e durante o Concerto os três míúdos - como eles se costumam tratar -  explicaram como cada canção foi composta e entre fotos do início de carreira e brincadeiras em palco, os D-A-M-A brindaram-nos com um Concerto intimista, em que o público cantou com eles todas as canções. Mia Rose (namorada de Miguel Cristovinho dos D.A.M.A.) também fez parte da noite , tendo cantado um mix de algumas canções, bem como a conhecida "Tudo p'ra dar" e a linda "Secrets in Silence", em duo com os D.A.M.A.. Até a decoração do palco reproduziu o ambiente de casa, simulando talvez o espaço onde os "miúdos" costumam criar e ensaiar: no chão, carpetes e várias velas acesas espalhadas. Adorei. Perfeito.

E assim foi a minha 5ª e 6ª feira...pronta para gozar agora o "Carnaval mais Português de Portugal", o de Torres Vedras. E...assim "se chega nova a velha" :)

"Sonhar é viver, brincar, imaginar e...acreditar"

BOM CARNAVAL!!!!

 


Contactos

Pieces of Moments